Faixa a Faixa: Be - BTS

Álbum de um dos maiores grupos de K-pop é um sensível relato sobre a vida durante a pandemia



Depois de lançar o aclamado álbum "Map of The Soul:7" em fevereiro e ter toda a turnê de promoção cancelada devido à pandemia do novo coronavírus, BTS voltou ao estúdio para fazer o trabalho mais pessoal da carreira do grupo.


"Be" foi lançado esta semana e conta com a assinatura dos membros do grupo não só na composição e produção das oito músicas, mas também na identidade visual do álbum e na direção dos clipes. Confira abaixo o faixa a faixa do Mixtape 90:


Life Goes On


Faixa-título do álbum, "Life Goes On" teve participação dos rappers do grupo (RM, Suga e J-hope) na composição e fala sobre como os acontecimentos de 2020 influenciaram a vida das pessoas. "Um dia o mundo parou sem qualquer aviso", canta Jung-Kook já nos primeiros versos.


Falando no vocalista principal do grupo, ele dirigiu todas as versões até agora divulgadas do clipe. Este é um dos indicativos de que todo o grupo participou ativamente na criação do álbum, tornando o relato ainda mais pessoal.


Conhecido pela naturalidade nos vídeos que fez pela sua produtora, Golden Closet Friends, Jung-Kook decidiu retratar um pouco do cotidiano do grupo durante a pandemia e o vazio que agora as apresentações ao vivo têm, sem a presença do público.





내 방을 여행하는 법 (Fly To My Room)


A segunda faixa de "Be" é uma unit dos vocalistas Jin e V com os rappers Suga e J-Hope. Para quem não está muito familiarizado com o K-pop, unit é o termo usado para quando apenas uma parte dos integrantes de um grupo participam do projeto.


Em "Fly To My Room", o BTS se joga em um gênero musical até então inédito nos trabalhos deles: o blues. Trata-se de um paralelo direto com a letra, já que a canção além de abordar a melancolia que o isolamento social pode causar (blues em inglês pode ser relacionado com tristeza) e tentar transformar isso em algo bom. A faixa também é o retrato de uma situação que a geração deles ainda não tinha vivido.


Blue & Grey


Única balada do álbum, "Blue & Grey" originalmente seria toda em inglês e estaria na primeira mixtape solo do vocalista V. Inclusive, o cantor apareceu ouvindo a versão demo da música no seriado do grupo, o "BTS In The Soop". No entanto, quando todos os integrantes ouviram a canção acharam que seria perfeita para o "Be".


"Blue & Grey" é de fato uma ótima adição à setlist do álbum, principalmente após "Fly To My Room". A canção reflete sobre o estágio da compreensão de que a situação causada pela pandemia pode durar mais tempo do que o previsto e que tentar aproveitar o tempo para "ver o lado bom" não é mais o suficiente.


Os vocais sussurrados, junto com a melodia, em uma primeira ouvida lembram uma canção de ninar. No entanto, ao compreender a letra, é possível perceber que essa escolha vocal é para dar ainda mais ênfase em toda a sensação de inconformismo nos questionamentos apontados ao longo da música.


"Esse chão parece tão pesado, estou cantando sozinho. Eu só quero ser mais feliz, será que estou sendo ganancioso?", cantam no refrão.



Skit


Esta faixa do álbum é um áudio de quando os integrantes do grupo de quando eles descobriram que alcançaram o primeiro lugar da para Billboard Hot 100, uma das paradas mais importantes do mundo pop, com o single "Dynamite".


Para quem não conhece outros trabalhos do grupo pode até achar estranho ter um áudio assim no meio de um álbum tão curto. No entanto, eles são conhecidos por fazer isso em alguns projetos, principalmente quando acontece algum marco na carreira deles. A última vez que o BTS fez isso foi no álbum "Love Yourself: Her" com o áudio do discurso feito ao receber o prêmio de Top Social Artist, do Billboard Music Awards, pela primeira vez.


잠시 (Telepathy)


Com muita influência do funk americano, "Telepathy" é uma faixa que parece ter saído do 24k Magic, do Bruno Mars, diretamente para o repertório do BTS. O ponto mais interessante da música é que ela tem apenas dois versos em inglês e o restante é toda em coreano, o que não é muito comum nas músicas de K-pop, porém nos mostra o quanto os integrantes queriam deixar esse álbum mais perto de casa.


Quem vê a letra pode pensar que essa é mais uma canção de amor. Levando em consideração a discografia do grupo, dá para entender que a música foi feita pensando nos fãs, chamados de Army, e para alegrá-los em tempos difíceis. "Mesmo que eu não esteja ao seu lado, sabemos que estamos juntos", afirmam em um dos trechos se referindo ao fato de não poder encontrar o Army em 2020.



병 (Dis-ease)


Aqui está o ponto alto do álbum. "Dis-ease" traz o que o K-pop sabe fazer de melhor: mistura de gêneros musicais. A canção começa como um hip-hop dos anos 90, vai para pop no pré-refrão, passa pelo funk nas guitarras, cai no trap na ponte e depois faz o caminho de volta para o pop e hip hop.


Além disso, a faixa conta com produção do integrante J-Hope. A identidade dele fica bem presente na música, já que os elementos lembram bastante o trabalho dele fora do grupo, como na mixtape "Hope World".



Stay


Outra faixa que inicialmente seria para a mixtape de um dos membros do BTS. "Stay" seria a música que encerraria o primeiro trabalho solo de Jung-Kook, mas após os outros integrantes ouvirem, foi transformada na segunda unit do álbum formada por ele, Jin e RM.


A canção é um pop eletrônico que cai no caminho usado pelo grupo em "So What", do álbum "Love Yourself: Tear". A letra também ganha um significado ainda mais especial ao saber a história por trás do grupo: Jung-kook escolheu ser trainee da gravadora Big Hit por causa de RM e continuou no grupo, após pensar em desistir, por causa de Jin.


Essa é mais uma música do álbum que no fundo é dedicada aos fãs. Em um dos trechos eles cantam "Não importa onde estamos nesse momento, onde quer que você esteja, eu sei que você sempre vai ficar".



Dynamite


O álbum encerra com o grande hit que projetou o grupo ainda mais no mercado internacional, "Dynamite". Essa faixa é especial para o BTS não só pelos inúmeros recordes alcançados, mas também por ser o primeiro single totalmente em inglês, o que já é um desafio por si só já que apenas um dos sete integrantes falam esta língua.


"Dynamite" é uma canção pop-disco, que traz toda a influência retrô que permeia o álbum e o mundo pop em 2020. Além disso, a faixa também chama atenção por explorar os vocais dos três rappers do grupo, tirando os membros de fato da zona de conforto.



"Be" é um retrato muito sensível do que foi a vida dos jovens adultos em 2020. A escolha por abordar assuntos reais nas canções, e que geralmente são evitados pelos grupos de K-pop, agora se torna marca registrada do BTS. O trabalho é daqueles álbuns que deixam o famoso gostinho de quero mais e a dúvida sobre o que o grupo está preparando para o futuro.

OutrosPots.png

Matérias Recentes