Jup do Bairro traz o baile punk de favela CORPO SEM JUÍZO para o Carambola em Maceió

Cantora promete vertentes do rock e do funk para o show do segundo dia do festival independente de música que acontece nos dias 02 e 03 de abril na capital alagoana

Jup do Bairro traz o CORPO SEM JUÍZO para o Festival Carambola em Maceió (AL) | Foto: Herica Suzuki/Multishow

Quando Jup do Bairro lançou o manifesto CORPO SEM JUÍZO, o mundo enfrentava um dos piores anos da história da humanidade e talvez o grito de "eu não vou morrer" presente na faixa "LUTA POR MIM" nos desse naquele momento o que a arte sempre nos oferece: esperança. Já escrevi por aqui sobre o quanto eu amo a universalidade das letras na transgressão da multiartista de Capão Redondo (SP) e sobre as várias Jups presentes na "in.corpo.ração" de Jup do Bairro, porém eu nunca me canso de falar que a arte brasileira tem hoje o privilégio de contar com uma das maiores da atualidade.

Quase dois anos depois do lançamento do EP e prêmios importantes na bagagem como o Revelação Multishow e APCA, a turnê CORPO SEM JUÍZO chega com superbanda, um bloco pauleira que abre com "PELO AMOR DE DEIZE", participação especial e apoio de voz de Mulambo e o punk de favela que deu ao público do Lollapalooza Brasil 2022 um dos shows mais inesquecíveis da história do festival. "Eu me proponho a ser uma artista do presente que reverencia o passado e projeta o futuro como uma extensão hoje", é com essa frase que podemos sentir um gostinho do que Jup do Bairro irá aprontar no Festival Carambola, que acontece nos dias 02 e 03 de abril em Maceió (AL).

É a partir do amor, inteligência e senso de humor único com os fãs, com a imprensa e o público em geral que a multiartista mostra que toda a potência criativa vai além do lançar discos e fazer postagens nas redes sociais. Jup do Bairro é um movimento cultural necessário para esse país cada vez mais pobre de tudo, principalmente de valorização da arte. Prestes a desembarcar na capital alagoana, a musa bateu um papo massa com o Mixtape 90 e falou sobre a turnê, spoilers dos próximos trabalhos e ainda deixou uma lista de músicas que mais ouve no momento. Muito diva, né? Bora lá?


MIXTAPE: A turnê CORPO SEM JUÍZO finalmente veio aí com passagens pelo Lollapalooza e tudo mais. O que podemos esperar para o show do Festival Carambola?

JUP: Esperei dois anos por essa turnê e finalmente estou conseguindo performar CORPO SEM JUÍZO fora do LCD. Cada show terá sua identidade e formato, acho que isso faz com que cada show seja vivo e exclusivo. Para o Festival Carambola, conto com Evehive (dj) e Mulambo (apoio de voz e participação especial). É um formato mais eletrônico passando por vertentes do rock e também do funk. Um verdadeiro baile punk de favela. Um repertório diverso contando com as faixas do meu disco, spoken words e muitas novidades.

Jup traz seu CORPO SEM JUÍZO para o 2º dia do Carambola

MIXTAPE: Você é emocore assumida e, após parcerias com a Fresno e Pitty, qual Jup você amaria mostrar pra gente em novas eras?

JUP: Gravar com Pitty e Fresno foi a realização de um sonho, Priscilla e Lucas foram uma das minhas grandes inspirações para começar a compor. Ouvir o que eles tinham a me dizer, fazia eu criar cenários e sensações quase que materiais e é isso que quero fazer com a minha arte e acho que consegui demonstrar isso. Quero criar novas imagens sonoras, mergulhar ainda mais em minhas referências e criar coletivamente. Eu amo os encontros, a possibilidade de criar um megazord criativo e realizar novos sonhos que ainda não sonhei.


MIXTAPE: Se você fosse uma artista, qual seria (Ahahah brincadeira), com qual artista você amaria fazer um álbum conjunto?

JUP: Eu tenho muita vontade de criar um álbum conjunto. Um não, vários! Mulambo é uma pessoa me me instiga muito criativamente, Mateus Fazeno Rock é um dos meus favoritos do momento, Edgar com sua mente inquieta, Criolo, Mano Brown, Rashid, Black Alien, Don L, Brisa Flow, Tássia Reis, Juçara Marçal, MC Drika, MC Carol, Kmila CDD, Deize Tigrona, Black Pantera, Glória Groove, Potyguara Bardo, Urias, Assussena e a grandiosa Liniker são alguns dos nomes que me surgem e me fazer ter muita vontade de colaborar.


Ouça aqui a parceria de Jup com Pitty e BADSISTA:


MIXTAPE: Falando nisso, foi através de você que conhecemos o incrível Mulambo na pancada “LUTA POR MIM”. Como você enxerga essa rede de apoio e admiração entre os artistas de influência no teu trabalho?

JUP: Eu me proponho a ser uma artista do presente que reverencia o passado e projeta o futuro como uma extensão hoje. Ter Mulambo comigo é pra além de somar forças, é caminhar lado a lado e dividir os holofotes. Um dia eu posso não ser mais tão interessante pra indústria, posso não ter mais o que ser dito, nada mais justo do que oferecer espaço hoje para quem está criando comigo hoje. Mulambo tem muito a dizer, como muitos jovens pretos de periferia que assim como eu, não tiveram oportunidade. Acredito que a arte, pelo menos a arte marginal e a vivência hip hop estão ligadas à generosidade e fortalecimento. “Um dia minhas pernas não vão mais me aguentar / e cada passo que eu der, menos enxergar / num momento minha voz rouca, nada vai soar / luta por mim”.


MIXTAPE: Temos algum spoiler para os próximos trabalhos?

JUP: Estou fazendo a pré-produção do meu novo disco, se chamará “in.corpo.ração”, uma espécie de continuação de CORPO SEM JUÍZO mas agora com novas questões, afinal o que vai pra além do corpo? Também estou começando a escrever meu primeiro longa-metragem que se chama “Juízo Final”, patrocinado pelo Natura Musical. É um musical fictício que mergulha nessas duas obras criando uma musicalização exclusiva, além de participações ao longo no ano.

Foto: Pedro Pinho

MIXTAPE: Jup, ao final de cada entrevista a gente sempre pede que nos deixem uma mixtape com faixas ou álbuns que mais ouve no momento. Você tem algo pro público do M90?

JUP: Nesse momento estou ouvindo muito “Indigo Borboleta Anil” da Liniker e destaco "Lalange". Mateus Fazeno Rock com o álbum “Rolê nas Ruínas” e escolho "Trilha Sonora Para o Fim do Mundo". Fresno com o ótimo “Vou Ter que me Virar” e a faixa "Casa Assombrada". Stromae com o lindo disco “Multitude” com minha favorita "Fils de joie". E por último (e não menos importante), Jup do Bairro com “O CORRE” presente no EP CORPO SEM JUÍZO.


Jup do Bairro toca no segundo dia do Festival Carambola, que acontece em Maceió nos dias 02 e 03 de abril. Bora esquentar esse corpo sem juízo?



OutrosPots.png

Matérias Recentes

Listra.png