4 artistas pernambucanos para conhecer



De norte a sul, o Brasil é um país que exala cultura. Por isso, o Mixtape 90 apresenta alguns artistas para você conhecer a riqueza da musicalidade de cada estado. Desta vez, você vai conferir a arte do estado de Pernambuco. Vem ver!


AVE SANGRIA


Composto por Marco Polo (vocais), Ivson Wanderley (guitarra solo e violão), Paulo Raphael (guitarra base, sintetizador, violão, vocal), Almir de Oliveira (baixo), Israel Semente (bateria) e Agrício Noya (percussão), a Ave Sangria é um dos principais nomes da música psicodélica pernambucana. O mais recente trabalho foi lançando em 2019, 45 anos após o primeiro álbum da banda. O álbum é intitulado "Vendavais" e marca o retorno de três integrantes da formação original: Almir, Marco Pólo e Paulo Rafael.


Um fato curioso é que a banda inicialmente não era chamada de Ave Sangria, mas decidiu usar o nome depois de um encontro que os membros tiveram com uma cigana no interior da Paraíba.

Ouça abaixo:



FLAIRA FERRO


Cantora, compositora e dançarina, Flaira Ferro tem musicalidade muito ligada à cultura popular de Pernambuco. O primeiro trabalho autoral, "Cordões Umbilicais", foi lançado em 2015. Quatros anos depois, ela voltou com um novo álbum intitulado "Virada na Jiraya", que conta com participações de nomes como Chico César, Antônio Nóbrega, Ceumar e Spok. Uma super indicação para quem quer conhecer mais da música que tem a cultura de Pernambuco na veia.


Ouça o álbum "Virada na Jiraya":




ORQUESTRA CONTEMPORÂNEA DE OLINDA


As orquestras tradicionais do país retornam aqui com um toque contemporâneo e influência de afrobeat, jazz, ska e vários outros gêneros. A banda foi idealizada pelo percussionista Gilú com o intuito de produzir música nas ladeiras de Olinda com ênfase em arranjos de metais e percussão, mas que não remetesse ao típico frevo. Com isso, ele reuniu doze músicos que, cada um à sua maneira, agregam as influências musicais na criação das canções.


Veja o clipe de "De Leve" abaixo:



LIBRA


Não poderia faltar DJ na lista. Libra começou a tocar em 2016 em festas de pop e funk, mas desde então tem aprofundado suas pesquisas cada vez mais em ritmos progressistas, como techno, house, breakbeat e afro-beat. A artista também aproveita o setlist para mostrar as suas raízes e principais influências. Além de DJ, Libra também fundou o coletivo SCAPA, dedicado a produzir e divulgar o trabalho de artistas negros e da cena eletrônica afro-latina.


Veja o set completo abaixo:



E aí, o que achou das dicas? Conta pra gente nas nossas redes sociais :)


OutrosPots.png

Matérias Recentes